terça-feira, 29 de junho de 2010

FASE 1 – O QUE FILMAR?

Que história eu quero contar e o quê devo filmar?

Para fazer um filme, não existem regras. Basta colocar a imaginação para funcionar e escolher um tema bem bacana para o seu filme. A escolha de um tema maneiro, e o seu conteúdo, pode auxiliar em todo o processo de construção e sucesso desse filme.

O segredo é escolher um tema que você domine ou que seja de fácil realização, por isso, tente pensar em coisas interessantes e próximas de você. O ambiente em que vivemos está repleto de pessoas, lugares, nomes, coisas engraçadas, coisas absurdas, coisas curiosas... Enfim, tudo o que achar interessante e pertinente pode ser filmado ou ser tema de um filme.

Tente esquecer coisas malucas como querer entrevistar uma pessoa famosa que você não tenha acesso ou filmar em uma ilha deserta que você nunca foi. Pense em coisas fáceis, como a importância daquela praça que você brinca todos os dias, a história do nome da sua escola, os pontos turísticos da sua cidade, a vida de uma pessoa importante no seu bairro, entre outros.

A dica é pensar em vários assuntos diferentes, colocar todas as opções no papel e depois analisar cada idéia, imaginando o que vai ser mais fácil ou mais difícil de fazer. Isso vai te auxiliar bastante na hora de definir o tema que você vai desenvolver.

Depois que você já analisou todas as suas opções e definiu o seu tema é hora de avançarmos um pouco mais. Você já pode passar para a próxima fase!

FASE 2 – PESQUISA

- Tudo bem, já escolhi meu tema. Mas e aí, já posso filmar?

Ainda não. Antes de ligarmos a câmera e sair filmando por aí, precisamos construir a história que você vai contar. O tema é apenas o início e, para poder contar essa história, devemos aprofundar nossos conhecimentos sobre o assunto que iremos abordar; Isto é, fazer uma boa pesquisa.

A internet é um bom início, mas não deve ser a única fonte a ser consultada. Uma visita a biblioteca da sua escola, ou mesmo da sua cidade, pode render uma ótima fonte de conteúdo para o seu projeto.

Interagir e perguntar a pessoas que se relacionam diariamente com o seu objeto de estudo também pode ser uma ótima forma de encontrar informações que sejam pertinentes ao seu trabalho.

Nesta fase, você poderá contar ainda com auxílio dos seus professores que podem indicar formas e fontes de você obter maiores informações sobre o seu objeto de estudo.

A dica é conseguir o maior número de informações sobre o assunto que você vai abordar.

FASE 3 – FORMATO E GÊNERO

- Estou ansioso para começar a gravar. Ainda falta muito?

Estamos quase lá! Neste tópico iremos abordar o formato e o gênero cinematográfico. Vocês com certeza sabem o que é!

FORMATO

Depois de pesquisar bastante, já temos a possibilidade de decidir qual o formato de filme que iremos produzir. Podemos escolher entre ficção, documentário ou animação. Segue abaixo a descrição de cada um:

Documentário:
Tem o compromisso de não alterar nada que seja físico dos lugares, personagens e falas. Porém, pode ser editado buscando a interpretação que você quer passar do assunto retratado.



Ficção:
História inventada. Fatos podem ser representados com enredo diferente para retratar algum assunto.



Animação:
A história pode ser desenvolvida através de elementos artísticos como desenho, massa de modelar, ilustrações, recortes, computação gráfica, entre outros.












GÊNERO

Gênero é a linha que o filme vai seguir. O gênero causa o sentimento das pessoas que o assistem: podem rir, chorar, torcer, se emocionar, ser fonte de conhecimento. Segue abaixo alguns exemplos:

• Ação
• Aventura
• Comédia
• Drama
• Faroeste
• Policial
• Romance
• Suspense
• Terror
• Entre outros.

FASE 4 – ROTEIRO

- Já escolhi o tema, fiz a pesquisa, identifiquei o formato e o gênero que mais me interessa. O que preciso fazer para começar a filmar?

O nosso próximo passo é construir um roteiro básico para que as idéias não se percam, e sirvam como guia para as ações que deverão ser executadas durante o processo de gravação do seu filme. O roteiro guiará todo o processo daqui pra frente. É a sua idéia tomando corpo e forma. Tudo deve ser escrito e listado para que o trabalho na hora da filmagem seja mais produtivo.

O roteiro deve conter informações básicas sobre a gravação, como:

• Informações sobre o local onde você vai gravar;
• Os personagens;
• Se a gravação será de dia ou de noite;
• Se é em local fechado ou a céu aberto;
• Diálogos e ações.

Veja abaixo um curta-metragem produzido pelos jovens das Oficinas Querô e o seu respectivo roteiro, na seqüência:



“CAROLINAS”
por Isla Lustosa e Nathália Lira


SEQUÊNCIA 1

Cena1 – Externa/Dia – Corredor 1
CAROLINA 1 caminha.

Cena 2 – Externa/Dia - Corredor
CAROLINA 2 caminha.

Cena 3 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 1 abre a porta

Cena 4 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 2 abre a porta

Cena 5 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 1 se olha no espelho.

Cena 6 - Interna/Dia – Banheiro
Carolina 2 se olha no espelho.

Cena 7 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 1 tira a roupa e entra no Box.

Cena 8 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 2 sentada no vaso.

Cena 9 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 1 abre o chuveiro.

Cena 10 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 2 pega papel higiênico no porta papel.

Cena 12 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 1 olha para baixo e se assusta.

Cena 13 - Interna/Dia – Banheiro
Carolina 2 olha para baixo e se assusta.


SEQUÊNCIA 2

Cena 1 – Interna/Dia – Sala de aula
PROFESSORA escreve na lousa e diz
- Ciclo Menstrual


SEQUÊNCIA 3

Cena 1 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 2 olha para as mãos sujas de sangue.

Cena 2 - Interna/Dia – Banheiro
Banheiro sujo de sangue.

Cena 3 – Interna/Dia – Banheiro
Carolina 2 se assusta.

Cena 4 – Interna/Dia - Banheiro
Carolina 1 se assusta.

Sobem os créditos finais.

FASE 5 – PLANOS CINEMATOGRÁFICOS

- Oba, falou em câmera. Já posso ligar a minha?

Ainda não. Mas falta bem pouquinho agora. Antes, de pegar uma câmera e sair gravando, sugestionamos estudar os planos do seu filme, como em um desenho em quadrinhos, para que você possa entender melhor o quê e como filmar. Os enquadramentos representam uma parte importante para a construção da imagem de um filme.

O enquadramento é a ação de selecionar determinada parte do cenário para aparecer na tela. Assim, dependendo do enquadramento, uma paisagem pode aparecer com mais céu, mais árvores, mais água. Uma pessoa pode aparecer inteira na tela, ou pode-se optar por mostrar apenas seu rosto.

Segue abaixo a descrição de cada plano e a sua função:

• Plano Geral (PG): Pega todo o ambiente onde está o objeto da filmagem com este pouco definido ao centro (mostra toda a praia com Ana Maria correndo ao centro)

• Plano Aberto (PA): Pega todo o objeto da filmagem e nada mais (mostra Ana Maria de corpo inteiro)

• Plano Americano (PAm): Muito usado em Hollywood nos anos 40/50, Mostra +ou- dois terços do objeto (Ana Maria de cima do joelho à cabeça)

• Plano Médio (PM): mostra meio objeto (Ana Maria da cintura para cima)

• Plano Próximo (PP): Mostra 1 terço do objeto (Ana Maria apresentando telejornal)

• Close: Mostra parte significativa do objeto (rosto de AM)

• Super Close (Close Up): Mostra detalhe de parte significativa do objeto (olhos de AM)

FASE 6 - MOVIMENTOS DE CÂMERA

Movimentos de câmera? O que é isso?

São os movimentos que você vai realizar com a câmera durante o seu processo de gravação. Opte sempre por movimentos leves que não precise um deslocamento muito grande da câmera, ainda mais se ela for pequena e leve, porque a imagem tende a tremer com mais facilidade. Os movimentos mais comuns são estes:

Pan (panorâmica): é quando você movimenta a câmera para direita ou esquerda sem tirá-la da base em que ela está.

Tilt: é quando você movimenta a câmera para cima ou para baixo tirá-la da base em que ela está.

Travelling: travelling é o nome do equipamento que faz a movimentação da câmera para frente, para trás, para direita ou esquerda tirando ela da base em que está. Ou seja, a câmera caminha no sentido do objeto que está sendo filmado.
Obs.: Você pode usar um skate, carrinho de compras ou qualquer outro objeto que possa fazer a movimentação. Certifique-se que o chão onde você apoiará seu equipamento é uniforme, para não tremer a imagem.

Exemplo: Você está com sua câmera no meio de um corredor para filmar uma pessoa que vai passar. Você tem duas opções:

1ª – Com sua câmera apoiada em algum lugar você apenas movimenta/vira a câmera sem tirá-la deste lugar de apoio. A pessoa passará pela câmera e você acompanhará de longe com o movimento.

2ª – Com a câmera apoiada em alguma base que se movimente você seguirá a pessoa de lado, na frente ou a trás enquanto ela passa pelo corredor.

FASE 7 - GRAVAÇÃO

- Agora eu já sei. Vamos gravar, né?

É isso mesmo. Pode pegar o seu celular, máquina fotográfica ou filmadora. O melhor equipamento para gravação é aquele que você possui, por isso não fique preocupado em conseguir um equipamento de primeira. Siga algumas instruções básicas e você conseguirá realizar uma boa gravação.

• Utilize-se de mini-dv, celular, máquina fotográfica e/ou qualquer outro aparelho que grave imagens em vídeo. Tenha a certeza que este também grave áudio.

• Evite movimentos bruscos ou muito rápidos com a câmera. O ideal é manter uma única posição ou fazer movimentos lentos e uniformes.

• Nunca faça gravações com a câmera na vertical.

• Procure filmar em locais com baixo movimento de carros e barulhos externos, para não prejudicar o áudio do seu filme.

• Na rua, quem estiver com o equipamento de gravação deve estar sempre de costas para o som. Desta forma, você irá aproveitar ao máximo a luz natural e evitar sombras indesejáveis. O mesmo serve para o maior ponto de luz interna.